Apresentação do protocolo OSPF (Open Shortest Path First)

Tempo de leitura: 3 minutos

O protocolo protocolo OSPF (Open Shortest Path First) foi desenvolvido pelo IETF (Internet Engineering Task Force) como substituto para o protocolo RIP e caracteriza-se por ser um protocolo intra-dominio ou interno (IGP – Interior Gateway Protocl), hierarquico, baseado no algoritmo de Estado de Enlace (Link-State), o qual foi especificamente projetado para operar com redes grandes.

Topologia OSPF
Topologia OSPF

Outras características do protocolo OSPF são:

  • A inclusao de roteamento por tipo de servico (TOS – type of service routing). Por exemplo, um acesso FTP poderia ser feito por um link de satelite, enquanto que um acesso a terminal poderia evitar este link, que tem grande tempo de retardo, e ser feito atraves de um outro enlace;
  • O fornecimento de balanceamento de carga, que permite ao administrador especificar multiplas rotas com o mesmo custo para um mesmo destino. O OSPF distribui o trafego igualmente por todas as rotas;
  • O suporte à rotas para hosts, sub-redes e redes especificas;
  • A possibilidade de configuracao de uma topologia virtual de rede, independente da topologia das conexoes fisicas. Por exemplo, um administrador pode configurar um link virtual entre dois rotea- dores mesmo que a conexao fisica entre eles passe atraves de uma outra rede;
  • A utilização de pequenos “hello packets” para verificar a operação dos links sem ter que transferir grandes tabelas. Em redes estáveis, as maiores atualizações ocorrem uma vez a cada 30 minutos.

O protocolo ainda especifica que todas os anuncios entre roteadores sejam autenticados (isto nao quer dizer que necessariamente reflita a realidade das implementações). Permite mais de uma variedade de esquema de autenticacao e que diferentes areas de roteamento (ver abaixo) utilizem esquemas diferentes de autenticação.

Diferente do RIP que utiliza saltos como métrica o OSPF utiliza o custo como métrica para escolha da melhor rota. O custo está relacionado à velocidade do link, portanto quanto mais taxa o link tiver melhor a rota para o OSPF.

Duas desvantagens deste protocolo são a sua complexidade e maior necessidade por memoria/processamento, característica inerente aos protocolos que usam o algoritmo de Estado de Enlace (Link-State).

O OSPF suporta, ainda, roteamento hierarquico de dois níveis dentro de um Sistema Autônomo, possibilitando a divisao em areas de roteamento. Uma area de roteamento é tipicamente uma coleção de uma ou mais subredes com características semelhantes.

Todas as areas de roteamento precisam estar conectadas ao backbone do Sistema Autonomo, no caso, a Area 0. Se o trafego precisar viajar entre duas areas, os pacotes sao primeiramente roteados para a Area 0 (o backbone). Isto pode não ser bom, uma vez que não há roteamento inter-areas enquanto os pacotes não alcançam o backbone. Chegando à Area 0, os pacotes são roteados para a Area de Destino, que é responsável pela entrega final.

Esta hierarquia permite a consolidação dos enderecos por area, reduzindo o tamanho das tabelas de roteamento. Redes pequenas, no entanto, podem operar utilizando uma unica area OSPF, chamado OSPF Single Area.

As provas de certificação Cisco CCENT, ICND-2, CCNAX 200-120 e no CCNP ROUTE cobram esses conceitos, assim como vários concursos públicos da área de TI.

DLTEC ACESSO PREMIUM

Tenha acesso a todos os nossos materiais de estudo, cursos, technotes, biblioteca virtual e grupo secreto no Facebook. Seja Premium!

Aprenda as tecnologias mais procuradas no mercado de trabalho e prepare-se para as principais certificações de infra de TI do mercado.

Clique aqui para acessar nossa área de membros premium!

Não é membro premium? Clique aqui e saiba mais sobre a DlteC Premium.

Sobre Marcelo B do Nascimento

Cofundador da DlteC do Brasil e 7Bit Tecnologia, graduado em Engenharia Eletrônica/Telecomunicações pela UTFPR e pós-graduado em Redes e Sistemas Distribuídos pela PUC-PR. Trabalha na área de Tecnologia da Informação e Telecomunicações desde 1996. Certificado ITIL Foundations, CCNA Routing & Switching, CCNA Voice, CCNA Security e CCNP Routing & Switching.