Internet deve respeitar mínimo de 70% da velocidade!

Tempo de leitura: 2 minutos

A velocidade também não deve nunca estar abaixo de 30% do valor contratado a partir de 01 de novembro de 2013. Entra em vigor nesta sexta-feira (1º) a norma da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) que determina que os provedores de conexão de internet banda larga respeitem uma média mensal de, no mínimo, 70% da velocidade contratada pelo cliente.

DLTEC ACESSO PREMIUM

Tenha acesso a todos os nossos materiais de estudo, cursos, technotes, biblioteca virtual e grupo secreto no Facebook. Seja Premium!

Aprenda as tecnologias mais procuradas no mercado de trabalho e prepare-se para as principais certificações de infra de TI do mercado.

Clique aqui para acessar nossa área de membros premium!

Não é membro premium? Clique aqui e saiba mais sobre a DlteC Premium.

A velocidade também não deve nunca estar abaixo de 30% do valor contratado a partir de hoje. Tais exigências eram, até ontem, de 60% e de 20%, e saltarão para 80% e 40% em novembro do ano que vem.

Banda larga no Brasil crescerá 54,2% em quatro anos, diz a Cisco. Isso significa que, em um teste de conexão, alguém que paga por um plano de 10 Mbps nominais deve verificar sempre que sua internet está acima de 3 Mbps. Essas porcentagens valem tanto para a taxa de download (dados recebidos) quanto para a de upload (dados enviados), que são quase sempre diferentes –a de upload é geralmente muito mais baixa.

As taxas médias são fiscalizadas pelo próprio órgão, com a ajuda de voluntários. Já a momentânea pode ser feita pelo usuário. A Anatel indica o site Brasil Banda Larga para que os clientes façam testes do serviço que contrataram e vejam se estão recebendo a velocidade exigida.

Há também aplicativos da Anatel para Android e para iOS feitos para aferir as taxas de transmissão usando o smartphone.

Consumidores que verificarem a velocidade abaixo de 30% da contratada devem reclamar na operadora, recomenda a Anatel. Caso o problema não seja resolvido, o cliente deve fazer uma reclamação com a própria agência, no telefone 1331 ou por meio do site (Fale Conosco, link situado no menu inferior).

Abaixo, uma tabela do que foi definido pela agência em outubro do ano passado a fim de melhorar a qualidade do serviço de internet prestado no país.

 MÉDIA NACIONAL

Segundo uma classificação da Akamai, o Brasil está em 73º lugar em velocidade média das conexões, num ranking com 243 países, com média nacional de 2,3 Mbps (abaixo da de 3,1 Mbps global).

Um relatório da Cisco divulgado nesta semana aponta que há 27,3 milhões de pontos de conexão de banda larga no país, incluindo os fixos (residenciais, 19,9 milhões) e móveis (7,3 milhões).

O relatório considera como banda larga móvel acessos feitos por meio de modem USB em planos pós-pago ou em modem embutido (caso de tablets) também pós pago.

Segundo a Cisco, a velocidade média das conexões de banda larga no país é de 4,88 Mbps, enquanto o preço médio pago pelo brasileiro por internet é de R$ 64.

FONTE: Folha Tec

Sobre Marcelo B do Nascimento

Cofundador da DlteC do Brasil e 7Bit Tecnologia, graduado em Engenharia Eletrônica/Telecomunicações pela UTFPR e pós-graduado em Redes e Sistemas Distribuídos pela PUC-PR. Trabalha na área de Tecnologia da Informação e Telecomunicações desde 1996. Certificado ITIL Foundations, CCNA Routing & Switching, CCNA Voice, CCNA Security e CCNP Routing & Switching.